As turmas dos cursos técnicos na modalidade Subsequente de Secretariado, Informática e Meio Ambiente participaram de uma palestra intitulada “Secretário e Meio Ambiente: um foco para empresas sustentáveis”, realizada no dia 24 de setembro, no Auditório do câmpus.

O projeto da professora Karoline Siqueira visou despertar a consciência e comportamento ambiental na função de secretário, instigar a criação de empresas sustentáveis no Vale do Jari, possibilitar práticas de rotina de trabalho que conservem o meio ambiente, além de divulgar dados sobre o lucro e investimento social.

“Um tema bastante divulgado, discutido e levado às práticas de trabalho é a conservação do meio ambiente, necessidade de criação de estratégias, mecanismos e comportamentos que melhorem o presente, resguardando as gerações futuras. Dessa forma, os profissionais de secretariado, meio ambiente e informática precisam de incentivos, disponibilidade de recursos, informações para que a capacitação não se limite à especialidade, mas o macro”, disse a professora Karoline Siqueira.

A presidente do Sindicato das Secretárias e Secretários do Estado de São Paulo (Sinsesp) e Secretária Executiva formada pela Universidade de Taubaté (Unitau), Isabel Cristina Baptista foi a palestrante. Ela é pós-graduada em Programação Neurolinguística pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC).

Durante a palestra ela focou temas como o consumo sustentável, preciclagem, ecoeficiência, preservacionismo, ecossocialismo, economia verde, entre outros.

Compartilhou com os alunos sua experiência em relação à sustentabilidade destacando ações que foram implantadas tanto dentro do sindicato dos secretários quanto de outras empresas e que deram resultados extremamente positivos.

Falou sobre o papel do cidadão como agente transformador e algumas atitudes que podemos ter para um novo jeito de viver, exemplificando a substituição de sacolas plásticas por papel, reciclagem do lixo, o ato de comer menos carne vermelha, de desligar a tomada, impressão de menos documentos, fazer compostagem, trocar o carro à gasolina por elétrico, parar de jogar óleo na pia da cozinha, desligar o chuveiro enquanto se ensaboa, e etc.

Após a palestra, os alunos puderam debater o assunto juntamente com uma Mesa de Mediadores que foi formada pelos professores Raimundo Neto, Vinícius Campos, Karoline Siqueira, Érica Viviane Miranda e a palestrante Isabel Cristina Baptista.

O aluno Oséias de Araújo (36), do curso técnico em Comércio pelo Programa de Educação Profissional na Modalidade de Jovens e Adultos (Proeja), disse que o evento foi importante porque trouxe um tema atual e bastante discutido. Ele contou que também faz a sua parte e procura trabalhar sempre com a questão da reutilização, no intuito de preservar o meio ambiente. “Crio abelhas e para fazer as caixas eu reutilizo as caixas de pinho (madeira de reflorestamento) que são usadas para o transporte de verduras ao supermercado. Com câmaras velhas de bicicletas eu as transformo nas ligas que auxiliam no carregamento delas e um colchão velho eu uso para tampar a porta das caixas das abelhas. Também trabalho com hortas e observei que com adubo orgânico, as espécies de jambo, abóbora e batata doce se adaptam melhor. Para isso, utilizo as fezes de galinha. O veneno para a horta é composto por água, tabaco e sabão em pó – não agride as hortaliças, elas têm um crescimento melhor e não faz mal à saúde”, contou Araújo.

O professor Raimundo Neto disse que para ele, “a palestra lhe trouxe uma compreensão mais ampla quanto ao tamanho da nossa responsabilidade com as questões ambientais, e isso, envolvendo os profissionais de todas as áreas”.

“Saí de São Paulo com a perspectiva de passar para os alunos aqui do Amapá um pouco das experiências positivas que temos realizado por lá em prol do meio ambiente. Acredito que se nós sairmos daqui não só com uma consciência, mas com um comportamento voltado para a preservação ambiental, já valeu a pena. O grande questionamento é: que mundo queremos para os nossos filhos, para as futuras gerações? Isso eles refletiram aqui”, argumentou a palestrante Baptista.

A professora Karoline Siqueira ressaltou que será implantado um projeto denominado “Empresa sustentável”, com o objetivo de empregar todos os conceitos vistos na palestra – nas empresas do Vale do Jari, focando a mudança de comportamento e trazendo uma contribuição significativa à sociedade. Para este projeto serão envolvidos cerca de duzentos alunos da modalidade subsequente do câmpus Laranjal do Jari.

O evento foi realizado para comemorar o Dia do Secretariado que acontece no dia 30 de setembro.

Por Viviane Fialho, jornalista do câmpus Laranjal do Jari.

Veja Também